Residência NGM / [gh arquitectos]


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik


© Fernando Schapochnik


© Fernando Schapochnik


© Fernando Schapochnik


© Fernando Schapochnik

  • Arquitetos: [gh arquitectos]
  • Localização: Benavidez, Buenos Aires, Argentina
  • Autores: Christian Giani, María Jesús Huarte
  • Estruturas: Yañez Estarellas/Ing. Rafael Estarellas
  • Área: 289.52 m2
  • Ano Do Projeto: 2016
  • Fotografias: Fernando Schapochnik
  • Estruturas: Yañez Estarellas/Ing. Rafael Estarellas
  • Concreto E Alvenaria: Ferreira construcciones

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

Esta residência foi projetada para um jovem casal que decidiu viver na periferia de Buenos Aires. O terreno escolhido localiza-se no bairro de San Benito Benavidez, o qual é acessado desde a rota Pan-americana ramal Escobar. 


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

A proposta do projeto é trabalhar com uma residência de perímetro livre, utilizando os limites impostos pela normativa do bairro para os afastamentos frontais e laterais. 

A residência está composta por uma sequência de espaços com diferentes qualidades que são descobertas ao percorrê-la. A materialidade é contundente e sua relação com as paisagens gera climas diversos ao atravessá-la. Uma esplanada de acesso recebe o visitante e permite também o acesso com o carro, em seguida a parte semi-coberta conecta-se até a porta principal, desde onde se acessa a um hall de entrada e o surpreendente pátio com um lago, deixando entrever a sala de estar no fundo.


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

A sobreposição dos dois volumes, um na parte inferior, maior e de uso cotidiano e outro reservado a intimidade, na planta superior, provocam espaços abertos, terraços e espaços semi-cobertos.


Planta

Planta

Corte / Fachada

Corte / Fachada

No térreo estão localizados o espaço de estar, o refeitório, a cozinha, banheiro e duas suítes. O exterior abriga a churrasqueira que se relaciona diretamente com o jardim e com a futura piscina. Na planta superior são distribuídos a suíte e um escritório. Ambos abrem-se a um terraço amplo com vista a lagoa do bairro, em um espaço que entendemos como lugar de encontro onde é possível ter uma experiência com a paisagem.


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

A casa se apoia sobre uma plataforma de concreto armado de 25cm de espessura. Toda a estrutura é feita através de um sistema de paredes, vigas e lajes de concreto armado. O balanço da planta superior se resolve com uma estrutura mista de concreto armado com vigas invertidas na planta superior, colunas e tensores metálicos de perfis ‘c’. Para as fôrmas das paredes e vigas foram utilizadas tábuas aplainadas de 2,5 cm de espessura por 7,6 duplicando-as na espessura em determinados lugares para criar um ritmo vertical de baixos-relevos ao longo de todo o perímetro. Em certos extremos das paredes foram concretadas peças de aço galvanizado que contém iluminação de led, reforçando a orientação vertical do desenho. Nas fôrmas das lajes foram utilizadas chapas fenólicas multilaminadas de 18mm.


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

O concreto é deixado de forma aparente no exterior enquanto a face interior é revestida com placas de gesso com isolamento térmico.

Do mesmo modo, as carpintarias de alumínio negro com DVH incentivam esta verticalidade com os fechamentos de carpintaria feitos com placas cimentícias autoclavadas. As varandas de ferro se destacam no mesmo sentido.


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

As portas e móveis são de madeira de guatambú, conformando a terceira e última cor juntamente com o cinza do concreto e o negro das esquadrias. 


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

O projeto prevê um sistema preparado para a captação de água pluvial de coberturas e terraços. Este sistema conta com artefatos para a captação ou infiltração de água, com elementos para transportá-la (encanamento) e um reservatório para armazenar a mesma de até 5m3.

O reservatório é utilizado para a reutilização em um sistema automatizado de irrigação por aspersão. 


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

Por último, a residência busca transformar a paisagem através de uma presença forte desde a crueza de sua materialidade e sensível no descobrimento de seus espaços. 


© Fernando Schapochnik

© Fernando Schapochnik

<

p class=”wpematico_credit”>Powered by WPeMatico

Quarto lugar no concurso nacional para a nova sede do CAU/BR + IAB/DF


Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Após a divulgação do resultado para o Concurso nacional para a nova sede do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e o Instituto dos Arquitetos do Brasil – Departamento Distrito Federal (IAB-DF), apresentamos a proposta que obteve a quarta colocação. O projeto foi realizado pelos escritórios Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura.

Veja o projeto completo a seguir.

A Casa dos arquitetos

Já distante quase quatro décadas da realização do concurso para a Sede do IAB-DF nesse mesmo local, é agora proposto um novo certame para um novo objeto: o uso compartilhado do terreno pelas Sedes do IAB-DF e do CAU-BR. O Edital sinaliza para a essência da arquitetura desejada, pautada na relevância das duas entidades que “lidam com questões similares […] sob perspectivas diferentes”. Nesse contexto, a opção por uma única edificação funcional – a casa dos  arquitetos – parece ser uma das possibilidades, desde que “[…] reflita e preserve a identidade e independência de cada instituição” (Edital, p.33).


Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Esquema Estrutural 2

Esquema Estrutural 2

Com essa condição, garagem e edifício-sede foram pensados como construções distintas. Próximo a L2, o embasamento abriga dois níveis para veículos que se confundem com o terreno. Introspectivo, ao fundo, o edifício corporativo não permite leituras variadas: são cinco pavimentos, três acima da soleira, todos com planta bipartida entre o IAB-DF e o CAU-BR. No térreo, o hall evidencia a presença das duas instituições. Uma ponte metálica oferece o acesso e serve também como junta de dilatação.

A estrutura em concreto – bidirecional e modulada – estende-se para fora do edifício com vigas em balanço que, por sua vez, recebem as placas de concreto que envolvem a construção. Na garagem, esforços e cargas atípicas justificam sua separação dos espaços corporativos. Também com esse principio, o auditório e o plenário estão apoiados diretamente sobre o terreno evitando excessos na estrutura. O núcleo central faz parte da estrutura e contém escadas, elevadores, sanitários e prumadas de instalações.

A área construída atinge os 5.000m2 desejados e as garagens mais 1600m2. A ocupação máxima de 40% e a  permeabilidade mínima de 30% foram respeitadas, de acordo com a NGB. Os custos para cada instituição são semelhantes, sendo que a complexidade do Auditório é contrabalançada pela área do IAB-DF, inferior a do CAUBR
em 50m2.


Croquis

Croquis

Os acabamentos previstos são simples, duráveis e de baixa manutenção. Excetuando-se as áreas molhadas e circulações verticais, as divisões internas serão em gesso acartonado, as esquadrias em vidro temperado, pisos em cerâmica impermeável e iluminação de baixo consumo energético. Com essas características, pretende-se construir os 7.039m2 (5.000m2+ 1.600m2 de garagem+ 441m2 de cobertura) ao custo médio de R$ 1.960,00/m2 totalizando R$ 13,8 milhões ao final da obra.


Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

O afastamento da L2 garante a perspectiva do edifício, uma lição de Lúcio Costa na Esplanada dos Ministérios. Essa distinção também pertence ao Seagram Building de Mies, “[…] recuado da calçada como nenhum outro edifício de sua época. Praça, pátio, jardim, passeio. Um vazio impensável. Um ponto de vista singular” (Marina de Holanda, 2012).


Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Externamente, um brise opaco em concreto, imune às ocorrências do lugar. Por dentro, os painéis de azulejos refazem os caminhos de Athos Bulcão na estética brasiliense.

  • Arquitetos: Bruno Cabral, Frederico Rabelo, Guilherme Andrade, Jakyline Martins Manoel Balbino e Rangel Brandão
  • Colaborador: Ian Silva
  • Ano Do Projeto: 2016
  • Fotografias: Cortesia de Bruno Cabral Arquitetura, RGB Estudio e Jakyline Martins Arquitetura

Veja também:

Divulgado o resultado do concurso nacional para a nova sede do CAU/BR + IAB/DF

Primeiro lugar no concurso nacional para a nova sede do CAU/BR + IAB/DF

Segundo lugar no concurso nacional para a nova sede do CAU/BR + IAB/DF

Terceiro lugar no concurso nacional para a nova sede do CAU/BR + IAB/DF

  <p class="wpematico_credit"><small>Powered by <a href="http://www.wpematico.com" target="_blank">WPeMatico</a></small></p>

Salão de Serviços Públicos de Tbilisi / Studio Fuksas


© Moreno Maggi

© Moreno Maggi


© Moreno Maggi


© Moreno Maggi


© Moreno Maggi


© Moreno Maggi

  • Arquitetos: Studio Fuksas
  • Localização: Tbilisi, Georgia
  • Área: 42000.0 m²
  • Ano Do Projeto: 2012
  • Fotografias: Moreno Maggi
  • Engenharia: Studio Sarti
  • Construtora: Huachuan Georgia Company LTD

© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

Este projeto está situado na zona central da cidade e possui vistas para o rio Kura.


© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

O edifício é composto por sete volumes que possuem escritórios, cada volume é composto por quatro pavimentos. Estes volumes são colocados ao redor de uma “praça pública central”, que é o núcleo do projeto, onde encontram-se os serviços do escritório de atenção. Os escritórios estão conectados entre si por passarelas internas que se estendem em diferentes níveis.


© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

Corte

Corte

© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

Os volumes e o espaço público central são elevados por cima de 11 grandes “pétalas” que são independentes do resto do edifício tanto de maneira formal como estrutural. Três dessas grandes pétalas cobrem o espaço central. As pétalas diferentes em geometria e dimensão, chegam a quase 35 metros e estão suportadas por uma estrutura de pilares de aço com forma de árvore, visíveis, assim como as pétalas, externa e internamente.


Planta 0

Planta 0

Planta 3

Planta 3

Planta 5

Planta 5

Entre as pétalas, que possuem diferentes níveis, estão as fachadas de vidro. A principal característica destas fachadas é que foram completamente liberadas da estrutura das pétalas, o que permite movimentos entre a fachada e a malha estrutural da cobertura. Esta decisão foi tomada para evitar que qualquer movimento da cobertura, devido principalmente às oscilações das cargas de neve, vento ou expansão térmica, possam danificar os vidros.


© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

O Salão de Serviços Públicos de Tbilisi incluem: o Banco Nacional da Geórgia, o Ministério de Energia e o Registro Civil e Nacional.


© Moreno Maggi

© Moreno Maggi

<

p class=”wpematico_credit”>Powered by WPeMatico

17 trechos de livros do OMA para ler online e baixar

No final do ano passado, o escritório de Rem Koolhaas, o OMA, lançou uma nova versão de seu website. Se você ainda não navegou pela nova página, com mais de três décadas de projetos provocativos que influenciaram toda a arquitetura contemporânea mundial, agora você tem mais um motivo para conhecer o site: o escritório disponibilizou trechos de seis de seus mais aclamados livros e publicações.

1. Elements (2014)

Editora: Marsilio


Elements (2014). Imagem via www.oma.eu

Elements (2014). Imagem via www.oma.eu

Trecho disponível:

  • Ramp II: Claude Parent

via www.oma.eu

via www.oma.eu

(Download aqui)

2. Project Japan (2011)

Editora: Taschen


Project Japan (2011). Imagem via www.oma.eu

Project Japan (2011). Imagem via www.oma.eu

Trechos disponíveis:

  • Kisho Kurokawa 
  • Arata Isozaki 
  • Media Architects

via www.oma.eu

via www.oma.eu

(Download aqui)

3. Al Manakh (2007)

Editora: Archis


Al Manakh (2007). Imagem via www.oma.eu

Al Manakh (2007). Imagem via www.oma.eu

Trechos disponíveis:

  • Drawn in the Sand
  • Introducing
  • Cityscape 2006 Report
  • Export Dubai
  • Workers in the City

via www.oma.eu

via www.oma.eu

(Download aqui)

4. Post Occupancy (2006)

Editora: Domus d’Autore


Post Occupancy (2006). Imagem via www.oma.eu

Post Occupancy (2006). Imagem via www.oma.eu

Trecho disponível:

  • Casa da Música

via www.oma.eu

via www.oma.eu

(Download aqui)

5. Content (2004)

Editora: Taschen


Content (2004). Imagem via www.oma.eu

Content (2004). Imagem via www.oma.eu

Trechos disponíveis:

  • AMO Atlas
  • Go East!
  • Utopia Station
  • The Enemy + CCTV

via www.oma.eu

via www.oma.eu

(Download aqui)

6. Project on the City II: The Harvard Guide to Shopping (2001)

Editora: Taschen


Project on the City II: The Harvard Guide to Shopping (2001). Imagem via www.oma.eu

Project on the City II: The Harvard Guide to Shopping (2001). Imagem via www.oma.eu

Trechos disponíveis:

  • Evolution
  • Escalator
  • Relearning from Las Vegas

(Download aqui)

Incluímos o novo site do OMA em nosso artigo Os melhores sites de escritórios de arquitetura. Veja os outros sites aqui

Project Japan: Metabolism Talks…

Volume 12: Al Manakh

Domus d’autore

The Harvard Design School Guide to Shopping / Harvard Design School Project on the City 2

  <p class="wpematico_credit"><small>Powered by <a href="http://www.wpematico.com" target="_blank">WPeMatico</a></small>

39 hábitos estranhos comuns entre arquitetos


Cortesia de Sharon Lam

Cortesia de Sharon Lam

Recentemente, publicamos uma lista com os hábitos estranhos de alguns arquitetos famosos. De beber no trabalho a rotinas de sono desregradas, percebemos o quão esquisitos podem ser estes renomados profissionais. Mas e quanto ao resto de nós? Não são apenas os famosos que são estranhos, afinal, é difícil passar tanto tempo em função da profissão sem desenvolver alguns hábitos incomuns durante o caminho. Seja o modo como trabalhamos, como interagimos com nossos projetos ou coisas que nem parecem tão estranhas, até alguém de fora da profissão comentar, arquitetos têm, em geral, hábitos muito particulares. 

1. Passar cinco horas escolhendo a fonte tipográfica certa.

2. Carregar um Moleskine para onde quer que seja.

3. A estranha habilidade de passar horas em um escritório/estúdio sem ter feito absolutamente nada.

4. Planejar passeios e viagens em função de edifícios.

5. Sempre sentir que precisa de uma pausa para o café.

6. Ter opiniões sobre a vida pessoal de arquitetos famosos.


© Sharon Lam, imagem de <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bjarke_Ingels_in_Frankfurt.20150617.jpg'>Wikipedia user Epizentrum</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/'>CC BY-SA 3.0</a>

© Sharon Lam, imagem de <a href=’https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bjarke_Ingels_in_Frankfurt.20150617.jpg’>Wikipedia user Epizentrum</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/’>CC BY-SA 3.0</a>

7. Ter discussões imaginárias com arquitetos renomados.

8. Sentir as paredes, pilares e lajes.

9. Perder sua lapiseira a cada cinco minutos.

10. Perder seu escalímetro a cada dois minutos.

11. Ficar muito empolgado por causa de um guarda-corpo

12. Gastar uma fortuna em um caneta


© Sharon Lam, imagem de <a href='https://www.flickr.com/photos/nothingpersonal/5077683735'>Flickr user Dmitry Dzhus</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>

© Sharon Lam, imagem de <a href=’https://www.flickr.com/photos/nothingpersonal/5077683735′>Flickr user Dmitry Dzhus</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/’>CC BY-SA 2.0</a>

13. Ficar estranhamente feliz por dispor de várias opções de gramatura de papel.

14. Achar que você tem um gosto melhor que seus amigos não-arquitetos.

15. Ser arrogante com seus amigos não-arquitetos ao dizer coisas como “tectônica” ou “já ouviu falar do Rem Koolhaas?”.

16. Ser extremamente grato por imagens .png em alta resolução.

17. Criar muitos layers no Photoshop.


© Sharon Lam

© Sharon Lam

18. Perceber que seu guarda-roupa está cada vez mais monocromático.

19. Apreciar o projeto bem feito de um banheiro público.

20. Identificar pontes de calor em todos os edifícios de estrutura metálica que você ver.

21. Julgar livros por suas capas.

22. Não conseguir organizar seu tempo, apesar de dizer todo ano: “este ano vai ser diferente”.

23. Colocar um edifício famoso em sua foto de perfil.


© Sharon Lam, imagem de <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fallingwater_-_by_Frank_Lloyd_Wright.jpg'>Wikipedia user Somach</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/'>CC BY-SA 3.0</a>

© Sharon Lam, imagem de <a href=’https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fallingwater_-_by_Frank_Lloyd_Wright.jpg’>Wikipedia user Somach</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/’>CC BY-SA 3.0</a>

24. Ficar desapontado por sua foto de perfil não ter tantas curtidas quanto deveria, pois seus amigos não-arquitetos não entenderam. 


© Sharon Lam, imagem de <a href='https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fallingwater_-_by_Frank_Lloyd_Wright.jpg'>Wikipedia user Somach</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/'>CC BY-SA 3.0</a>

© Sharon Lam, imagem de <a href=’https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Fallingwater_-_by_Frank_Lloyd_Wright.jpg’>Wikipedia user Somach</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/’>CC BY-SA 3.0</a>

25. Abandonar seu perfil no LinkedIn porque você não gosta do design do site.

26. Referir-se a arquitetos famosos por seus primeiros nomes, como “Zaha”.

27. Referir-se a arquitetos famosos por seus apelidos, como “Curbu”.

28. Referir-se aos clientes por apelidos inventados… mas apenas quando eles não estão por perto.

29. Não poder comprar nenhum dos móveis, utensílios ou roupas que você quer. 

30. Esperar o dia de pagamento para gastar com estes mesmos móveis, utensílios e roupas.

31. Usar artigos de papelaria da Muji… religiosamente

32. Mapear os Starstrucks à sua volta.


© Sharon Lam, imagem de <a href='https://www.flickr.com/photos/naq/2337744981'>Flickr user Nauib Hossain</a> licensed under <a href='https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/'>CC BY-SA 2.0</a>

© Sharon Lam, imagem de <a href=’https://www.flickr.com/photos/naq/2337744981′>Flickr user Nauib Hossain</a> licensed under <a href=’https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0/’>CC BY-SA 2.0</a>

33. Assistir reality shows e pensar que os jurados são muito mais tranquilos que alguns de seus clientes.

34. Sentir-se muito importante quando estiver usando capacete e óculos de proteção nas obras.

35. Encontrar fita adesiva presa em seu cabelo.

36. Entender perfeitamente a cena do cartão de visitas no filme Psicopata Americano.

37. Passar o dia todo reorganizando os móveis em uma planta baixa. 

38. Superestimar sua produtividade diária. 

39. Subestimar o tempo gasto buscando “inspiração” na internet. 

Powered by WPeMatico

10 plugins incríveis para ampliar suas habilidades de modelagem no Sketchup


© Wikipedia user: Takuro1202, Licença CC BY-SA 3.0

© Wikipedia user: Takuro1202, Licença CC BY-SA 3.0

Após o sucesso da sua sexta edição em 2007, a Sketchup se tornou um dos softwares de modelagem 3D mais utilizados no mundo. Deve-se isso às suas ferramentas intuitivas, uso interdisciplinar dentro da indústria criativa (não apenas para arquitetos) e sua versão gratuita que não cria marcas d’água nos arquivos.

Sua biblioteca aberta ajudou o software a fornecer uma ampla gama de objetos 3D já modelados, ao passo que milhares de usuários desenvolveram seus próprios plugins não só para resolver os problemas de cada versão, mas também para explorar o potencial de suas ferramentas.

Apresentamos a seguir dez plugins compartilhados pela página do Sketchup Tutorials no Facebook usando seus GIFs demonstrativos. Se você não sabe como instalar um plugin do SketchUp, assista a este vídeo explicativo

Multipe Offsets v4

Criado por Sam D Mitch, este plugin cria múltiplos deslocamentos de superfícies selecionadas em um modelo.

Download aqui

Angular Dimension

Parece tão básico que é surpreendente que isso já não estivesse incluído no Sketchup, mas alguém realmente dedicou tempo para programar um plugin e corrigi-lo. Desenvolvido pelo usuário SLBaumgartner, este plugin permite calcular e desenhar ângulos na superfície de um volume.

 
Download aqui

Chain Along Path

Criado por 3dalbertsoft, este plugin permite que você crie uma turbina helicoidal selecionando uma curva e uma forma predefinida no SketchUp. Uma janela de diálogo permite escolher vários parâmetros para criar a forma final. É bastante útil para definir costuras, vedações, molas, tensores e cabos, e há um tutorial disponível do YouTube!


Download aqui

LSS Matrix

Criado por Kirill B, o LSS Matrix permite que você crie uma seqüência de componentes simplesmente atualizando o bloco inicial. Como o GIF que acompanha esta descrição demonstra, é possível criar uma escada em espiral, criando um bloco com dois degraus e, em seguida, escolhendo o número de cópias. Assista ao vídeo tutorial no Youtube.


Download aqui

Quad Face Tool

Criado por ThomThom, este plugin resolve uma das principais deficiências do Sketchup: a dificuldade de trabalhar com superfícies quádruplas não planas. Com a Quad Face Tool é possível criar figuras com bordas contínuas como topografias ou, como vemos no GIF que acompanha esta descrição, criar objetos muito mais reais, como este capacete que era originalmente reticulado. Sim, há um tutorial do Youtube!


Download aqui

Location

Em 2012, a Google vendeu o Sketchup para a Trimble Navigation. Embora este caso não seja um plugin, é um bom exemplo da sinergia positiva do Sketchup com a Google: a ferramenta “Localização” permite que você escolha a imagem de satélite do local onde seu projeto será construído, para isso, basta inserir o endereço exato no Google Maps. Em seguida, com um clique, você pode replicar a topografia real desse local. Muito útil.

Sketchy FFD

Criado por CPhillips, este plugin permite criar uma caixa de controle invisível em torno de um objeto. O que isso significa? Trata-se de uma malha definida por uma série de pontos de controle em seus vértices e bordas que permitem manipular as dimensões de um objeto selecionado. O GIF que acompanha esta descrição usa o exemplo de uma malha transformada em uma tigela, ajustando os pontos mais baixos, ou em um vaso, se você ajustar os pontos superiores. Assista ao tutorial aqui.


Download aqui

Components

Criado por Chris Fullmer, este plugin permite replicar um componente em uma superfície. Como em casos anteriores, ao editar o componente base, o restante é atualizado automaticamente. Altamente recomendado para a concepção de fachadas parametrizadas.

Download aqui

Camer Tools

Outro plugin de ThomThom, esta ferramenta oferece uma série de novas câmeras para as animações de seus projetos.


Download aqui

Curviloft

Criado por Fredo6, este plugin gera volumes parametrizados ao selecionar uma série de curvas em um modelo 3D. Uma vez criado, oferece nove diferentes possibilidades, incluindo a possibilidade de redefinir sua espessura final. Muito útil para projetar móveis.


Download aqui

Powered by WPeMatico

Mesmerizing Double Storey Villa in Perth, Western Australia

Appealathon House in Perth, Western Australia is a compact modern residence developed by Australian home builder Grandwood by Zorzi. The architectural language of the project is defined by simple lines, order and proportion. A minimalist exterior palette in gray and white is extended indoors, where things seem to really come to life: “The ground floor Guest Suite is complete with built in robe and luxurious ensuite. A unique entry opens to a stone laid floor extending through the main living areas. A wall of windows opens to the north bringing an abundance of natural light into all levels of the home.”                       By: Home Design 

15194601_1801113840127075_8539306640084629848_o
modern-home-design-4 modern-home-design-5 modern-home-design-6 modern-home-design-7 modern-home-design-8 modern-home-design-9 modern-home-design-14

Use Facebook to Comment on this Post

Powered by WPeMatico

Quincho Tía Coral / Gabinete de Arquitectura


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli


© Federico Cairoli


© Federico Cairoli


© Federico Cairoli


© Federico Cairoli

  • Colaboradores: Costanza Abente, Melisa Marchi
  • Empresa Construtura: Gabinete de Arquitectura S.R.L., Caló Estructuras S.R.L.
  • Estrutura: Eng. Julio Alvarez

© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

Um “quincho” é um pavilhão geralmente instalado no fundo dos lotes urbanos, e que tem por estas latitudes a missão de cobrir acontecimentos de caráter excepcional, cuja reiteração cíclica de estudada frequência e dosagem, flerta com o pecado capital e suas consequentes cargas lesivas a nossa saúde.


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

Mas para definir especificamente “qual o motivo deste quincho ser como é?”, a descrição prévia não é coerente com sua razão estrutural, mesmo que se revele como uma fundação em suas afirmações, não é conclusiva.


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

Fazemos o que fazemos para nos orientarmos, nos entendemos como seres de linguagem, e que em nossa ânsia por existência coletiva e fazendo uso do mandato disciplinar (velar pela habitabilidade dos seres enquanto humanos), nos aventuramos a produzir novas ferramentas de recursos e possibilidades, que superem as oportunidades de um viver melhor, como mensagem e oferenda que nos permite ser nos outros.


Planta

Planta

Reafirmamos nosso dizer que se escreve em pedras, superada a empatia imitativa, conjuramos novas formas de convocar a matéria, como mostra nossa patente necessidade de nos tornarmos melhor ao melhorar os outros.


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

Um céu de escombros, vidros reusados, pisos de cimento, algum cabo e alguma iluminação, para acompanhar as cenas cotidianas.


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

A pergunta mais importante sobre o Quincho Tía Coral não poderia ser outra… O churrasco é delicioso?


© Federico Cairoli

© Federico Cairoli

<

p class=”wpematico_credit”>Powered by WPeMatico