Placa Cimentícias em Curitiba



Placa Cimentícia em Curitiba   é a solução ideal como elemento de fechamento de paredes estruturais, paredes de vedação e fachadas. Pode ser utilizada em ambientes externos e internos, com acabamento em pintura ou cerâmica. Este modelo é indicado para divisórias leves, forros, dutos de ar-condicionado.

As placas cimentícias em Curitiba algumas  são ecológicas, 100% reutilizáveis, resistem ao ataque de cupins e micro-organismos, têm alta resistência a impactos, elevada durabilidade, são incombustíveis e concedem bom isolamento termoacústico. Estas recebem um tratamento impermeabilizante que garante menor absorção de umidade e maior estabilidade dimensional, dispensando impermeabilização adicional na obra. Além de ter o melhor produto, você faz economia.

Locais impróprios para aplicação das placas cimentícias em Curitiba   – Locais mergulhados em água – Locais mergulhados em substâncias aquosas ou oleosas; – Locais expostos a substâncias químicas e corrosivas; – Saunas, – Piscinas térmicas; – Revestimentos de churrasqueiras; – Revestimento de fornos; – Revestimento interno de camaras frias; – Parapeitos e vãos de janelas e portas; – Paredes curvas; – Fachadas Ventiladas.

1. É importante lembrar que as Placas Cimenticias em Curitiba tem o intuito único de revestimento, e não se aplicam de forma estrutural.

2. As placas  possuem resistência a umidade, porém essa resistência só permanecerá se forem respeitados todos os passos de utilização, aplicação e manuseio do material além da utilização correta dos componentes do sistema contidos neste manual.

ARMAZENAGEM E MANUSEIO • Verificar no recebimento da carga, a integridade das chapas antes do descarregamento; • Descarregar as chapas sempre em 2 pessoas uma de cada lado, na posição vertical;

• Empilhar as chapas em pallets, em pilhas de no máximo 1 metro de altura; • O comprimento dos apoios deve ser igual à largura das chapas; • Não empilhar chapas curtas em conjunto com chapas longas ou fora de alinhamento;

• Não apoiar materiais, sentar, pisar ou colocar materiais em cima das chapas armazenadas; • Armazenar as chapas com a superfície polida para cima, nunca em atrito com a face polida da outra chapa; • Verificar a resistência da laje e a capacidade da empilhadeira em função do peso das chapas;

• Nos locais potencialmente sujeitos à chuva, sol e umidade as chapas deverão ser protegidas com uma lona plástica e em locais cobertos.

Um projeto de interiores para ser bem executado tem que prever o espaço e as necessidades dos usuários devem nortear as decisões

do projeto e são as primeiras informações que devemos ter antes de iniciar um projeto.

Sem harmoniza-las o projeto não terá sucesso:  Nada adianta atender todas as necessidades em um espaço entulhado de itens que não permitem uma boa circulação Ou conseguir um espaço com itens bem dimensionados para o espaço, mas que não atendem todas as atividades que nele serão executadas.

A decisão em relação a estes elementos depende do espaço, do que se deseja enfatizar ou “esconder” (podemos querer disfarçar uma sala alta demais, por exemplo, para aumentar a sensação de aconchego – linhas horizontais ajudam a conseguir este efeito) e do clima que o cliente deseja que o ambiente possua (na mesma sala alta, se  o cliente deseja mostrar imponência e não aconchego, linhas verticais fazem o teto parecer mais alto ainda, o que ressalta a sensação de imponência no ambiente).

 

Deixe uma resposta