Pintura em drywall exige cuidados diferenciados

Pintura em drywall exige cuidados diferenciados

A pintura de sistemas drywall deve ser sempre precedida da aplicação de um fundo preparador, pois a superfície de uma parede, um revestimento ou um forro com essa tecnologia, após o tratamento das juntas e dos pontos de aplicação dos parafusos, terá nas áreas tratadas baixa absorção, enquanto o restante da superfície apresentará absorção mais elevada.

Desse modo, o fundo visa a igualar o grau de absorção da tinta, possibilitando que, desde que utilizados produtos de primeira linha, duas demãos sejam suficientes para assegurar uma boa cobertura. Na hipótese de não se utilizar um fundo, a primeira demão de tinta desempenhará esse papel, o que acabará encarecendo o acabamento.

Verificação da superfície a ser pintada

Inicialmente, deve ser feito uma avaliação de superfície, verificando-se a presença de falhas no tratamento das juntas e saliências ou rebaixamento nos pontos das cabeças dos parafusos, seguindo-se as recomendações das normas ABNT NBR 15.758-1:2009, ABNT NBR 15.758-2:2009 e ABNT NBR 15.758-3:2009 – Seção recebimento dos serviços. Caso seja observada alguma dessas falhas, deve-se corrigi-las antes de qualquer intervenção.

Preparação da superfície a ser pintada

A correta preparação da superfície é de fundamental importância para se obter uma pintura durável e de qualidade. A superfície dos sistemas de Drywall é nivelada e lisa, porém apresenta diferenciação de cor, textura e absorção entre as superfícies do cartão e da massa nas regiões das juntas entre as chapas e das cabeças dos parafusos.

Uma forma prática de verificação de secagem total da massa é pressionar a superfície desta com a ponta da unha. Se isso provocar um vinco ou ranhura, a massa não está totalmente seca. Imperfeições rasas podem ser corrigidas com massa corrida látex para interiores.

Após a secagem, as áreas tratadas nas juntas entre as chapas e nas cabeças dos parafusos, devem ser lixadas para eliminação de eventuais rebarbas de massa e pequenas irregularidades, zerando-as em relação à superfície do cartão. Recomenda-se utilizar lixa grana 150 ou 180 aplicada com uma base (um taco de piso, por exemplo), de forma a manter plana a superfície tratada. A superfície geral do cartão não deve ser lixada. Para acabamentos mais sofisticados, pode ser aplicada mais de uma demão de fundo ou massa sobre toda a superfície do sistema. Após a secagem total de cada demão, de acordo com a recomendação do fabricante, toda a superfície deve ser lixada com lixa grana 220/280, também aplicada com uma base, para manter a lixa plana. Ao final de cada procedimento, é necessário eliminar o pó de toca a superfície.

Preparação básica das tintas e complementos

As tintas e seus complementos devem ser submetidos aos seguintes passos fundamentais para facilitar sua aplicação e garantir que o resultado final seja o esperado.

  • Homogeneização – Agitar todos os produtos antes de serem utilizados, esta homogeneização precisa ser feita de forma a garantir que todo o conteúdo da embalagem esteja perfeitamente uniforme.
  • Diluição – Observar as especificações dos produtos nas embalagens e seguir as informações indicadas para diluição.

Tinta

A tinta é uma composição química formada por uma dispersão de pigmentos, numa solução ou emulsão de um ou mais polímeros. Ao ser aplicada na forma de uma película fina sobre uma superfície, se transforma em um revestimento a ela aderente, que colore, protege e embeleza.

Nesta cartilha serão abordadas somente tintas recomendadas para aplicação em paredes, forros revestimentos em Drywall.

A superfície do Drywall pode receber tipo de tinta que atenda as especificações da Norma ABNT NBR 15079 – Tintas para construção civil – Especificação dos requisitos mínimos de desempenho de tintas para edificações não industriais – tintas látex nas cores claras.

Cores escuras, quando aplicadas na parte interna da construção, protegida das intempéries, seguem as mesmas especificações da forma acima.

Componentes

Os componentes básicos das tintas são: resinas, pigmentos, diluentes e aditivos.

  • Resinas

As resinas são responsáveis pela formação da película protetora na qual se converte a tinta depois de seca.

Existem vários tipos de resinas. As tintas látex (PVA e acrílicas) e seus complementos (massas e fundos), por exemplo, utilizam resina do tipo (PVA) acetato de polivinila, poliacrílicos puros, copolímeros acrilo-estireno, vinil acrílico, etc. já as tintas epóxi e poliuretanas utilizam a resina epóxi e poliuretanos, respectivamente.

  • Pigmentos

Os pigmentos são partículas (pó) sólidas e insolúveis. Podem ser divididos em dois grandes grupos: ativos e inertes. Os pigmentos ativos conferem cor e podem de cobertura à tinta, enquanto os inertes (ou cargas) proporcionam lixabilidade, dureza e consistência, entre outras características.

  • Diluentes

Os diluentes, também chamados de solventes, são líquidos voláteis utilizados nas diversas fases de fabricação das tintas e possibilitam que o produto se apresente na forma liquida e sempre com o mesmo padrão de viscosidade. Eles são empresados para conferir à tinta as condições ideais de pintura, visando facilitar sua aplicação, seu alastramento, etc.

Nos produtos látex, a fase liquida é a água, que também é utilizada na sua diluição.

  • Aditivos

Aditivos são componentes que participam em pequena quantidade na composição de tinta, porem podem modificar significativamente as suas propriedades. Os aditivos mais comuns são: secantes, antiespumantes, antissedimentantes, antipele, bactericidas e fungicidas.

Fundo

Fundo, também chamado de primer ou selador, tem a finalidade de preparar as superfícies, corrigindo defeitos que o substrato apresenta e/ou uniformizar a absorção da superfície, proporcionando durabilidade à pintura e economia de tinta de acabamento.

Massa

Massa é o produto que tem a finalidade de regularizar defeitos e imperfeições da superfície. As massas devem atender os requisitos da Norma ABNT NBR 15348 Tintas para construção civil – Massa niveladora monocomponente à base de dispersão aquosa para alvenaria.

Nível S – Superior

Caracterização: A pintura, quando submetida à incidência de luz natural e/ou artificial, normal ou intensa rasante, deve apresentar excelente acabamento, não sendo aceita nenhuma imperfeição.
Exemplos de utilização: Ambientes residenciais e comercias de alto padrão.

Procedimentos de aplicação:

  • aplicar fundo pigmentado diluído, conforme recomendação do fabricante.
  • Aplicar uma ou duas demãos de massa nivelada para alvenaria (massa corrida) em toda a superfície a ser pintada e deixar secar, conforme recomendação do fabricante.
  • Lixar toda a superfície com lixa grana 220/280 aplicada numa base, para manter a lixa plana. Eliminar o pó em toda a superfície.
  • Aplicar duas ou três demãos de tinta Premium diluída e deixar cada demão secar, conforme recomendação do fabricante.

Textura – Nível Único

Procedimentos de aplicação:

  • Aplicar fundo pigmentado diluído e deixar secar, conforme recomendação do fabricante.
  • Aplicar uma ou duas demãos de textura. No caso de duas demãos deixar secar, de acordo com a recomendação do fabricante, antes de aplicar a segunda.

Observação:

Dentro de um mesmo nível de acabamento poderão ocorrer variações de qualidade em virtudes da Mao de obra de aplicação, bem como a capacidade de cobertura da tinta, conforme verificado nas avaliações.

Qualidade de acabamento

Passos:

Nível M – Mínimo

Caracterização: A pintura, quando submetida à incidência de luz normal, natural ou artificial, deve apresentar bom acabamento, porem são aceitáveis pequenas imperfeições localizadas.
Exemplos de utilização: Ambientes residenciais populares, comerciais, depósitos e locais onde se deseje um bom acabamento com baixo custo.

Procedimentos de aplicação:

  • Aplicar tinta econômica diluída a 50% como fundo e deixar secar, conforme recomendação do fabricante.
  • Aplicar duas ou mais demãos de tinta econômica diluída, conforme recomendação do fabricante.
  • A cada demão aplicada deixar secar, conforme recomendação do fabricante, antes da aplicação da demão seguinte.

Nível I – Intermediário

Caracterização: A pintura, quando submetida à incidência de luz normal, natural ou artificial, deve apresentar bom acabamento sem imperfeições.
Exemplos de utilização: Ambientes residenciais e comerciais de médio padrão.

Procedimentos de aplicação:

  • Aplicar fundo pigmentado diluído e deixar secar, conforme recomendação de fabricante.
  • Aplicar duas ou três demãos de tinta Standard diluído, conforme recomendação de fabricante.
  • A cada demão aplicada deixar secar, conforme recomendação do fabricante, antes da aplicação da demão seguinte.

 

Deixe uma resposta